Terça-feira, 29 de Novembro de 2005

Já é outra vez Natal

pai natal.bmp



Last Christmas
I gave you my heart
But the very next day you gave it away
This year
To save me from tears
I'll give it to someone special



publicado por fartodotrabalho às 22:07
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Novembro de 2005

Tenta Entender!!!

Não sei como explicar o que se passa! As palavras secam quando tento descrever tudo isto. Tento. Mas não consigo. Vou tentar de novo. Desta vez de olhos fechados. Desta vez sentindo-te comigo.

Não sei como te transmitir o que sinto. As palavras são escassas. São insignificantes. Nada do que possa escrever será tão intenso quanto o que sinto por ti. Torna-se impossível quantificar e, até mesmo, qualificar este sentimento.
Todos aqueles segundos foram mágicos. Cada toque, o beijo, cada palavra, cada cheiro, cada sorriso, cada olhar, cada arrepio, cada movimento efectuado. Nada demais. Tudo por tudo. Amei. Um simples encontro sentido de uma forma tão especial. Amei, amei, amei. Apenas tu e eu, no meio de meio mundo! Nada de nada. Apenas tu e eu. Um som de fundo. Talvez o mais apropriado de todos. Simplesmente perfeito! Algo a acrescentar? Não! Nem a tua partida me incomodou. Porque tinhas de ir. Porque sei que vais voltar.
Porque eu sem ti ja não sei viver.

publicado por fartodotrabalho às 20:56
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 26 de Novembro de 2005

O Beijo

Tarkan2.jpg
Foto dada por uma amiga minha



Tua boca...
Sim... Tua boca...
O desejo tomou conta de mim
ao beijar tua boca.

Sim...
Os meus lábios ainda pressentem
o próximo toque dos teus.

Boca linda...
Lábios vermelhos...
Desejo trazer junto comigo
Sempre...
Esse sabor de mulher.

Encostei teus lábios nos teus,
As bocas se juntaram...
E se encontraram tão belas...
Tão ansiosas... tão ávidas...

Bebi ali todo o teu veneno...
Bebi ali todo o teu desejo...

Meus lábios tocaram a tua pele...
Lábios, peregrinos, visitaram seus refúgios...

Linda mulher...
Lindo desejo...
Deixei algo de mim no teu beijo
que não recupero jamais...

Adorei o sabor do teu beijo, adorei, não imaginas o poder desse teu beijo


publicado por fartodotrabalho às 17:45
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

A Vida

sablier.jpg



Olha e sabe que está lá, mas não a consigue agarrar. A vida tal como a luz, é fugaz, um flash. Para a morte não há solução e para a vida só se pode ter os olhos bem abertos e fazer com que ela não passe em vão..



O tempo passa e a mente « enruga-se », ao sabor do vivido. Tudo passa e tudo acaba dando lugar a uma altura em que só pode olhar para trás, porque já não consegue olhar o horizonte.



Só posso imaginar a « melancolia » desse momento, a angústia de não sentir o controlo nas mãos, a energia fluir no sangue e de ver a vida a esvair-se por entre os dedos como grãos de areia num deserto imenso.


« In every life we have some trouble

But when you worry you make it double

Don't worry, be happy.

Don't worry, be happy now »


publicado por fartodotrabalho às 09:02
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 25 de Novembro de 2005

Ontem Chorei

Ontem eu chorei...
Ontem eu chorei por tudo e por todos...
Ontem eu chorei por medo...
Ontem eu chorei por insegurança....
Ontem eu chorei porque senti necessidade....
Ontem eu chorei porque descobri que é melhor chorar, desabafar, do que "esconder", prender o choro...
Ontem eu chorei por mim...
Ontem eu chorei porque sou FRACO, porque não sou FORTE como muitas vezes demonstro para as pessoas...
Ontem eu chorei porque vi que VIVER é muito complicado..
Ontem eu chorei porque tudo me dizia pra chorar...
Ontem eu chorei porque vi que as coisas não são tão simples como eu pensava que
era...
Ontem eu chorei porque a única coisa que me restava para fazer era chorar....
Ontem eu chorei sem motivo....
Chorei porque meus olhos pediam...
Chorei porque vi-me mais uma vez só diante do mundo, e de todos...
Chorei porque senti-me muito " pequeno" diante do mundo...
Ontem eu chorei e a cada lágrima que escorria no meu rosto mas só, inseguro eu
me sentia...


publicado por fartodotrabalho às 08:41
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Novembro de 2005

Vive como a Efemera - Vive o Momento

"A efémera tem uma esperança de vida de apenas um dia...

Mas será que isso a preocupa??

Nem um bocadinho!


Porque ela preenche esse dia com as coisas que mais adora!

Se calhar, nós que vivemos tantos anos, temos algo a aprender com isto!

Pense um segundo...se apoveitasse a vida como uma efémera, já imaginou como seria??


Viva o momento!"


in Publicidade da Vodafone Now



É Verdade já existe a minha Princesa, estou a viver momentos muito bons.....Há que viver como a efémera.....Viver os momentos......

publicado por fartodotrabalho às 09:17
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Novembro de 2005

A Vossa Opinião

Foi há um mês que decidi novamente republicar o blog…

Que é que vocês acham acerca da estabilidade que eu anseio!!!

Será que falta muito?Será que já existe a “pessoa especial”,a Princesinha do meu Coração?

Eu sei a resposta mas antes gostava de saber a vossa opinião!!! Sim porque vocês devem ter uma opinão.

Amanhã digo-vos a resposta………


publicado por fartodotrabalho às 08:25
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Terça-feira, 22 de Novembro de 2005

ELOGIO AO AMOR

Quero fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de
verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem
uma razão. Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática.

Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado. Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.

Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questãoprática.
O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam" praticamente" apaixonadas.

Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor
doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de
compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão
embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje. Incapazes de um
gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de
telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá tudo bem, tudo bem",
tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas. Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo? O amor é uma coisa, a vida é outra.

O amor não é para ser uma ajudinha. Não é para ser o alívio, o repouso, o
intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da
tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental".

Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada,
abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e
da serenidade. Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é
para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes.
Tanto pode como não pode. Tanto faz. É uma questão de azar. O nosso amor não é
para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um
bocadinho de inferno aberto.
O amor é uma coisa, a vida é outra.
A vida às vezes mata o amor. A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor
puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor
puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O
amor não se percebe. Não dá para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha,não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é
necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o
que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor
é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o
coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das
mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é
ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.Não é para
perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e
não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas
mais acompanhado de quem vive feliz.

Não se pode ceder. Não se pode resistir.
A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a vida inteira, o amor não. Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também.

ELOGIO AO AMOR - Miguel Esteves Cardoso in Expresso

Peço-vos desculpa, mas adorei este texto, por isso é que decidi partilhar este texto com vocês.....

publicado por fartodotrabalho às 10:21
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Domingo, 20 de Novembro de 2005

Escolhas e escolhos da vida

Ai esta sensação fria de ser sempre diferente. Esta vontade de ser e de não ser, de estar e de não estar. E os outros que não percebem. A sensação de ser uma perda de tempo... De falar para as paredes, de discursar em vão. A minha linguagem não encontra eco neste mundo. Nasci antes do tempo e fora do espaço... E se o espaço é mutável (aliás, e se eu sou mutável no espaço), o mesmo não posso dizer quanto ao tempo.
Funciono a mil à hora. E poucos, muito poucos, são aqueles que podem acompanhar-me. Daí esta sensação fria de seguir só, um caminho, sem destino certo, feito de opções a cada cruzamento da vida...
Sou assim. Já me habituei. Mas dói sempre. Em cada encontro e em cada desencontro dói mais. A ponto de já ter medo dos encontros por pânico dos desencontros.
Sou pedra preciosa a quem chamam calhau - porque os olhos do corpo não chegam para ver o essencial.
Sou eu. És tu. E tu. E tu. Uma multiplicidade de gentes e eu perdido e só.
Sonhos sempre desfeitos em pedaços - por culpa minha. Ou por escolha minha. Mas por mim - isso é certo. Nada a ver com os outro
Interrogo-me ainda e sempre se teria podido ser diferente. Se eu não tivesse vindo ou se tu tivesses vindo. Se eu tivesse voltado. Se tivéssemos casado. Se tivéssemos tido filhos... Uma miríade de "ses" para os quais não há certezas.
Preciso de ti. Mas preciso de mais. No entanto, sei que nunca ninguém me amou tanto como tu me amaste e nunca ninguém irá amar-me assim. E serei eu capaz de voltar a amar da mesma forma? Não sei. Mas tenho dúvidas.
Com o passar do tempo, vem-me esta sensação biológica de urgência e a noção de que me arrisco a convencer-me de que amo sem contudo amar.
A vida começa a parecer-me um jogo de faz-de-conta - e eu não gosto de jogar!
Restam-me as minhas neuroses, as minhas angústias, a minha criatividade - e pouco mais.
Faltas-me tu e falta-me também aquilo que não soubeste dar-me.
Acima de tudo, creio que me falta a coragem de assumir que me faltará sempre algo e que tenho de optar entre uma falta e outra!

publicado por fartodotrabalho às 17:07
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sábado, 19 de Novembro de 2005

Oh Vida...Oh Céus....oh Tudo....

Por que as vezes as coisas são tão complicadas de se entender e a vida é tão difícil de ser vivida???
Por é que nem tudo é como tu esperas que seja?

Há muito tempo eu deixei de mudar por causa do mundo e das pessoas...
Deixei de exteriorizar o que eu sinto ou o que penso para a maioria das pessoas, como forma de me "proteger"!!!
Sim! Proteger sim! Depois que cais e magoas-te, poucas são as pessoas que te perguntam se tu estás bem!
Poucos são os amigos!!!!!

Com o tempo descobres que a grande parte das pessoas considera-te um rival, alguem que está na vida competindo por objetivos nem sempre louváveis, e pior, sem que tu saibas que te encontras no meio de uma disputa!!!
Mas, de repente, aparecem coisas e/ou pessoas que fazem enxergar a vida com mais cor, mais brilho e te fazem refletir "que mudar é preciso"!
Que, não importa se vais cair! Que, não importa se vais sofrer!
VALE A PENA TENTAR!

Aí, muda-se! Muda aquele jeito que pensavas ser certo!
Mas.....do nada, descobres que tu é quem estás mudar! Que "te deram corda, só pra ver o enforcamento"!
Maldito momento em que eu mudei! Mas, já foi!
Agora, eu não volto atrás!
Na vida é preciso chorar, sofrer, se magoar! Porquê?
Pra ter passado, história, enfim, pra viver!
Ainda bem que aprendo com os erros! Com os meus e com os dos outros!

Beijinhus

(Escrevi isto a ouvir Tracy Chapman - Sorry; Sade - By your side; Shivaree - Goodnight moon; Macy Gray - I Try; Mafalda Veiga - Cada Lugar teu)


publicado por fartodotrabalho às 11:03
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Engates recentes

. Near the end...

. Quando eu te falei em Amo...

. Outra vez natal...

. As coisas boas da Vida

. Quero-te aqui

. The Wall

. Ouvir o Silencio

. Eu vou...

. Cantas Comigo???

. Cadeira Horrível!!!

.Engates Passados

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.A música do fim de semana




.Número de Engates

financial advisor
financial advisor Counter