Sábado, 15 de Abril de 2006

Assim nasce o amanhã...

Image Hosted by ImageShack.us


Paro e olho o mar. Porquê?


Nem eu sei ao certo hoje deu-me para pegar no carro e estacionar bem de frente para o mar, acendo um cigarro tiro os óculos e deixo-me estar assim, apenas a contemplar e a tentar tirar partido do que ele me diz, se é que me vai dizer alguma coisa.


Olho e vejo que fiquei preso no tempo, num tempo em que tudo corria um pouco como agora, ao sabor da maré.


O mundo corria e eu corria com ele agora o mundo continua a correr e eu apenas quero correr para ti.


Não sei, continuo a perguntar-me se devo, sabendo de antemão a resposta.


Lembro o passado, um passado não muito distante onde a noite era companheira, as borgas os amigos e as amigas, paletas de cores que me rodeavam e faziam de mim fruto de desejo, dizem elas que sou mel.


 


Que sabem de mim? Que sei eu? Quem sou afinal?


 


Numa dessas noites no meio de uma qualquer festa perdido no cheiro das gentes da noite nos olhares sedentos encontro o teu olhar sem me dar conta fixo esse olhar. 


Transbordavas doçura. Sorrias enquanto desviavas o olhar, continuavas a conversar animadamente com os teus amigos enquanto eu tentava fazer o mesmo. 


Não consegui pura e simplesmente não consegui, alguém tentava desviar o meu olhar através de um beijo, através de uma qualquer frase – Vamos sair daqui.


Virei a cara para olhar para mais uma daquelas amigas especiais da noite, era bonita ou como diria a qualquer um dos “gajos” que me acompanhava era boa, um pedaço de mau caminho para qualquer homem.


Sorri na tentação de lhe dizer que sim e quando volto a olhar já tinhas saído…escusado será dizer que acabei a noite na cama de um hotel, perdido num corpo que não era o teu, que eu não queria que fosse, hoje sei isso.


Não eras um corpo para “usar” eras, és um corpo onde aporto onde me perco a naufragar…onde é que já ouvi ou li esta frase? Que importa.


Mas quis o destino, sim quis o destino que as coisas não ficassem por aquelas trocas de olhares. Voltei a encontrar-te através de amigos comuns sucedendo-se alguns jantares e a inevitável troca de números de telefone. Finalmente o teu número quando eu menos esperava, ao chegar perto da moto lá estava um papel com o teu nome, um beijo e o numero.


Já não conseguia tirar-te da cabeça, começava a pensar em ti a toda a hora, e a vontade era só uma, transformar as horas e dias e deixar-me perder nos teus braços, queria-te para mim, não me bastavam olhares, jantares e beijos fugazes. Queria fazer-te minha.


Segui-se um café depois outro e mais outro, jantamos á luz de velas e o tempo foi passando sem que desse por isso. Como tudo parecia tão simples, não fosse tu namorares com outro homem que não eu, naquela altura não importava, hoje sei que deveria ter importado. 


Digam que é da idade…eu - Um "gajo" a caminho dos 30 em busca da Estabilidade -, caramba mas que raio de estabilidade é que eu criei desde o dia em que fiquei a imaginar que subias ao altar com outro que não eu.


 Parecia um miúdo, as lágrimas teimavam em cair…só de pensar que te deixei escapar, entreguei-te a outro homem e agora vivo numa luta para conseguir forças e lutar contra o futuro que não conheço que sei incerto. 


Lembras-te da data em que tudo aconteceu? Perco-me enquanto olho o mar, acreditas? Não me lembro de datas…apenas de ti do teu corpo macio, do teu sorriso dos teus beijos…ouço ao longe as ondas que vem beijar a areia assim fui eu, aos poucos “caminhando” pelo teu corpo, por entre beijos lânguidos, por entre um desejo incontido, por entre suspiros e gemidos de um prazer tão real que hoje olhando para trás me parece irreal.


Como és tão mulher…hoje sei que falhei ao deixar-te subir ao altar naquele dia em que a chuva, passados estes 4 anos, entre amigas e namoradas noites loucas. Sempre soube no fundo que não te tinha esquecido, sempre soube que queria voltar ao meu porto de abrigo e no dia que nos voltamos a encontrar finalmente tive essa certeza.


Assiste-me hoje a vontade de voltar atrás e retomar o que tínhamos sabendo porém que não vai ser fácil, a idade mudou a vida mudou e o mundo transformou-nos, mas ficar assim não dá.


Olho novamente o mar, ponho os óculos inspiro mais uma vez, a brisa torna-se cada vez mais fria, está na hora de voltar ao carro, está na hora de te ligar saber se estás livre para estar comigo, quero que isto acabe o quanto antes, mesmo sabendo que tudo isto está muito longe do fim.


Sinto-me preparado, pergunto-me se tu estarás…


 


 


(Qualquer semelhança como uma historia real é pura ilusão...será?)


 


Escrito por Maria - oteudoceolhar


 


 


 


 


 


publicado por fartodotrabalho às 01:03
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Nylda a 16 de Abril de 2006 às 14:51
Olá Bruno...
Obrigado pela visita ao meu blog. Olha eu tb te linkei. Este blog é muito sereno, eu voltarei com certeza.
Bem agora em relação ao texto que já tinha lido e voltei e ler, é realmente uma linda história, eu adorei. Parabéns a escritora.
Bruno adoro essa música, não ficas chateado se eu colocar no meu blog?
Uma Feliz e Santa Páscoa para ti.
Beijos


De fatima e manuel a 15 de Abril de 2006 às 13:55
obrigado pela tua visita ao nosso blog e esperamos k voltes mais que nos tb vamos voltar...
lindo a imagem e a historia

beijos e bom fim de semana da faty e do nelo


De MoonLight a 15 de Abril de 2006 às 11:08
Realidade ou não, não interessa! Interessa o que sentes, o que habita dentro de ti! Segue o coração! E... Uma Páscoa bem, bem docinha! Bjs de Luz


De Moon a 15 de Abril de 2006 às 01:49
É uma bonita história de amor ainda k aparentemente não tenha um final feliz, kem sabe isso ainda venha a acontecer.
E esta é para ti minha doce Jonhy, tens uma forma de escrever simplesmente maravilhosa, consegues transcrever emoções e sentimentos duma forma k eu axo 5*****

Beijinhos


De bruno raposo a 15 de Abril de 2006 às 01:33
pois realmente diz muito a quem temmuma historia muito parecida


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Engates recentes

. Near the end...

. Quando eu te falei em Amo...

. Outra vez natal...

. As coisas boas da Vida

. Quero-te aqui

. The Wall

. Ouvir o Silencio

. Eu vou...

. Cantas Comigo???

. Cadeira Horrível!!!

.Engates Passados

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.A música do fim de semana




.Número de Engates

financial advisor
financial advisor Counter