Sexta-feira, 17 de Março de 2006

Alma Gêmea

"Você tem meia hora Pra mudar a minha vida". (Excerto de "Vambora", por Adriana Calcanhoto)


Todos lembram de alguns momentos de relacionamentos passados que, mesmo aparentemente tolos, não nos passaram despercebidos. Há alguns anos uma namorada minha apanhou-me numa madrugada, de surpresa, observando-a dormir. Ela abriu um sorriso e disse: "Fica assim mais um pouquinho, a olhar-me desse jeito apaixonado, que quero guardar essa imagem nossa para quando o amor acabar." O amor (a paixão, na verdade) realmente acabou algum tempo depois junto com o relacionamento, mas a frase dela, fatalista, nunca me saiu da cabeça. Quando a ligamos ao conceito de almas-gêmeas, então, a perspectiva assusta. Será que estamos eternamente fadados a relacionamentos com prazo de validade, mesmo aqueles com pessoas que julgamos serem aquelas com quem gostaríamos de passar o resto de nossas vidas?
Eu acredito em almas-gêmeas. Minha crença é baseada na minha própria fé (que mistura-se um pouco à religião, mas não vem dela), à convicção interior e experiência própria. Nenhuma base científica confiável, portanto. Não acredito em almas gémeas como acredito no Pai Natal ou coelho da Páscoa. Não é aquela identificável pelo ponto luminoso sobre o ombro dos livros do Paulo Coelho, ou a revelada pelas regressões das obras do Brian Weiss. Também não é fatalista, como se acabasse a graça do mundo ao sermos rejeitados ou afastados de nossa outra parte, até porque acredito que exista mais de uma Alma-gêmea para cada um de nós. É uma crença próxima à percepção que temos ao admirar uma obra-de-arte de um pintor famoso e achar nela algo diferente todos os dias, à leitura de um poema que nos emocione, à certeza de que conseguiremos realizar aquela tarefa que a maioria não acredita. Ao milagre. Volúvel, pessoal, passível de questionamentos interiores e erros de julgamento.
Não há como dissociar a noção de eterno ao conceito de Alma-gêmea.
Aos primeiros sinais de desgaste ou quando a química atenua seus efeitos no corpo temos a desculpa do fatalismo, e que venham as paixões seguintes para restabelecer o descompasso do coração. O problema de esperar pelas almas-gêmeas é justamente esse, ansiamos apenas o lado perfeito delas. Um dia, após termos passado por toda série de desatinos e incompreensões amorosas, aparecerá aquela pessoa que identificaremos na hora, e nossa vida a partir daquele instante se transformará num carrossel de emoções e sentimentos retribuídos. Quem espera dessa maneira fica a vida toda sonhando com o navio que nunca vislumbrará, porque o passeio não acontece em águas calmas.
Almas-gêmeas revelam-se na cumplicidade do dia-a-dia, nas pequenas coisas, nos gestos inconscientes, na presunção dos desejos do outro, no prazer duma conversa agradável e bem-humorada, na arte de fazer-nos rir dos próprios erros; testemunhando a rotina e tornando-a menos enfadonha, mais leve e feliz. A que não precisamos envergonhar-nos de pedir ajuda. Desnudam-se ainda mais em mares revoltos, como aquela tábua de salvação mesmo quando não queremos uma mão a nos puxar de volta para o mundo de fora, o dos relacionamentos possíveis. Revelam-se depois do fulgor da paixão, com os anos, no enraizamento dos destinos, de tal forma que não façam mais sentido separados, como antes.
Não há truques, fórmulas mágicas, bulas, manuais ou um sentido extra que nos dê a certeza de termos encontrado nossa Alma-gêmea. Há apenas aquele palpite interior, e isso basta.
Se mais tarde a ciência, a história, a religião ou alguém provar que almas-gêmeas não existem, não fará diferença alguma. Teremos criado uma ao longo da convivência com a pessoa ao nosso lado, e envelhecer ao lado de alguém assim dá sentido a tudo: à ciência, à história, à religião, à nossa própria vida.

publicado por fartodotrabalho às 13:30
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De MalucaResponsavel a 19 de Março de 2006 às 14:32
estavas inspirado? estive a ler-te ao som de Vambora, com que tao bem iniciaste este "alma gemeas"... concordo ctg, um dia nós saberemos ... um dia ... :) um dia em que uma meia-hora mudará a nossa vida... jks


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Engates recentes

. Near the end...

. Quando eu te falei em Amo...

. Outra vez natal...

. As coisas boas da Vida

. Quero-te aqui

. The Wall

. Ouvir o Silencio

. Eu vou...

. Cantas Comigo???

. Cadeira Horrível!!!

.Engates Passados

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.A música do fim de semana




.Número de Engates

financial advisor
financial advisor Counter